Posts Marcados trash

Ins-pirações

Algumas “pérolas” que serviram de inspiração para esse projeto. Alligator de 1980, clássico das madrugadas da TV.

Tem também Killer Crocodile (1989) um italiano classe Z onde a poluição química em um rio transforma um crocodilo em um boneco de plástico nada realista. Alías temos que admitir que a pessoa que editou esse trailler conseguiu contar toda a história do filme (inclusive o final) em apenas 2 minutos e meio. Graças a ele não somos obrigados a assistir a “pérola” por completo.

E o maior de todos, o verdadeiro The King of all Monsters é o japônes Godzilla. A cinesérie começou em 1954, mas continua até hoje. Com algumas adaptações as novas tecnologias, claro. (Abstraiam a versão Hollywoodiana de 1998)

Só pra exemplificar a influência dos filmes do Godzilla, para o bem ou para o mal, tem esse clip do Bloc Party da música Fluxus (não considero a melhor deles) cujo visual e estética adotados podem ser um bom exemplo do que uma produção simples é capaz de fazer.

, , , ,

Deixe um comentário

O Jacaré Ataca!!!

Este é o primeiro post do blog. Estou dando o start no projeto, já tão acalentado, de fazer um filme trash, em regime de cooperativa, para criticar a especulação imobiliária e a intromissão agressiva nos ecosistemas da ilha. A inspiração é óbvia: o escândalo Moeda Verde (que já faz 3 anos) e os relatos de aparição de jacarés nos córregos do Santa Mônica, inclusive nos arredores do Shopping Iguatemi. Estes eventos já são, por si só, uma ironia que não poderia passar em vão pela cultura de massa de Florianópolis.

Então basicamente é a história de um jacaré gigante que surge da poluição e ataca o mega-empreendimento que invadiu o seu mangue.

Clique na aba “Projeto” para conhecer a verdadeira idéia por trás do Jacaré do Papo Amarelo, assim como nas outras abas para ter maiores informações. O blog será atualizado então pode visitá-lo com periodicidade.

É uma tragicomédia da qual já conhecemos o fim. É uma crítica aos valores da sociedade, aos empresários inescrupulosos, mas também aos consumidores, nós mesmos.

E sobretudo, é uma diversão criticar a sociedade.

, , , , ,

1 comentário