“It’s Alive!!! It’s Alive!!!”

Se estão perguntando onde eu andava nos últimos 2 meses, só posso dizer que sou como aqueles personagens da cidade grande que passam despercebidos na multidão, sem ninguém notar. Mas estou lá sorrateiro, e a qualquer momento posso sair de um bueiro e morder a bunda de alguém. O silêncio não corresponde a verdade dos fatos mas a falta de tempo do escriba digitar as histórias nestes “anais”.

Sim, o filme do jacaré progrediu desde o último post a dois meses . E como! Arriscaria-me a dizer que já temos mais de 50% do filme gravado. Opa, você acha pouco? Realmente, se for pensar que começamos a ensaiar atores a mais de um ano… Assim fomos levando nosso projeto de filme trash: relax, sem stress, tentando acertar as agendas de cada elemento envolvido. Mas essa turma é complicada. Quando um pode o outro não pode; quando o outro pode, o um não pode… Junte isso a falta de trato do diretor, a atores que faltam no dia por problemas diversos, falta de um carro para transportar equipamento… Tanta coisa deu errado; até um áudio inteiro de uma cena foi perdido.

Certo que a última gravação foi no mês passado. E desde então o tempo foi algo fugidio para este que vos escreve.

Mas não vou me demorar nas desculpas se tem tanto para mostrar de bem feito. A cena das crianças foi muito boa, cena dos hippies tem metade pronta, cenas que tem duas locações diferentes (como, por exemplo, a do ataque a Cliente rica do Megaempreendimento, que começa num estacionamento e termina no mangue) foram feitas a metade da locação disponível. A cena do mangue deve ser refeita por problemas no áudio, mas é só marcar. E nessa última gravação fizemos todas as cenas no banheiro; afinal, boa parte do filme se passa nos esgotos, lembram?

Set no banheiro

Diretor roendo as unhas

Só esse dia de gravação no banheiro já matou boa parte do filme; e assim pode ser com a próxima gravação que estamos agendando. As cenas dos corredores do mega-empreendimento e do escritório do chefe-vilão. São cenas importantes, que definem toda a história.

Mas merdas acontecem. A greve dos servidores técnicos da UFSC pode atrasar autorizações para utilizar locações da universidade. Temos que terminar as cenas que começamos e não terminamos. Os cabelos dos atores crescem…

Escondendo o microfone você sabe onde

Mas é isso mesmo! Não temos prazos, não temos patrão. Não estamos trabalhando no clássico estilo industrial de produção, estamos fazendo o nosso estilo. A produção do jacaré do papo amarelo tem o seu tempo, mas sabemos também que a vida é curta. TODOS OS FILMES TEM UM PRAZO SIM!!! Mas a do jacaré é mais elástico por conta dos mecanismos de sua viabilização: o tempo de cada um.

Assim, vamos gravar a próxima cena em algumas semanas. E depois das gravações ainda tem o tempo da pós-produção, que costuma ser mais demorado ainda… Mas não se preocupem, estamos trabalhando para oferecer o melhor produto para nossos consumidores.

Para terminar, queria deixar marcado: hoje morreu o diretor brasileiro Carlos Reichenbach (veja a notícia aqui) justo em seu próprio aniversário. Só assisti dois filmes dos 22 feitos por Reichenbach: Dois Córregos e Alma Corsária. Este último, especificamente achei muito bom; um filme surreal com estética de Boca do Lixo, misturando o erudito e o popular antes que isso fosse clichê e tendendo bastante a não ser nem um nem outro. Alma Corsária tem um estilo próprio, bastante diferente de Dois Córregos, seu maior sucesso. E Reichenbach ainda era um militante do cinema radical, marginal, feito sob as condições possíveis no momento e disso resultando sua estetica. Nesse sentido, Carlos Reichenbach influenciou muito o filme do Jacaré do Papo Amarelo.

No site youtube só tem disponível uma cena do filme. Mas é uma bela cena que aí vai. #RIPCarlão

, , , ,

Deixe um comentário

Momentos Congelados no Tempo…

Alguns frames das cenas que já temos gravadas, só pra vocês sentirem o drama:

Flor do pântano

Olhar do jacaré tudo vê (até o fotógrafo)

Um pobre figurante inocente

Seô Gualda no meio da noite

Estofamento era de couro de jacaré

Fujam para as montanhas

Deixe um comentário

Relatório de danos (e acertos)

É com satisfação que venho a vós lhes dizer que o filme está indo de vento em popa. Claro, sempre encontramos algumas dificuldades e revéses. Tempestades caem sobre nós quando estava tudo pronto para uma cena elaboradíssima; atores tem problemas em cima da hora e cancelam com toda a equipe esperando; atrasos na hora que nos fazem perder a luz natural e outros “sinistros” são absolutamente normais, mas tudo é encarado com bom humor pela equipe que tá dando duro.

Mas também temos vários acertos, na verdade foram a maior parte. Temos que admitir, a equipe tá afiada e os atores tão mandando bem.

Gravamos a cena dos hippies, conforme já foi postado, que ficou em parte muito boa, mas a outra parte terá que ser refeita devido problemas com a luz. Fizemos a gravação com a cliente no estacionamento que também ficou muito boa, vai render uma ótima cena de perseguição. Juntando com as cenas das crianças e do mangue, já acumulamos uns bons minutos do curta salvos em HD.

Outra coisa que promete é a cabeça de jacaré que tomou forma e agora falta pintar. Uma cláusula assegurando sigilo não nos permite divulgar mais imagens, mas confiem em mim, sua monstruosidade está garantida.

Agora, devido a equipe técnica e atores terem que prover sua subsistência, trabalhar e estudar, teremos que nos restringir a gravações durante o fim de semana. O diretor de fotografia tem trabalhos fora e assim que voltar estaremos marcando as datas, de qualquer forma serão para segunda metade de abril.

Então queríamos agradecer a todos que tem dado sua força, sangue, suor e lágrimas pelo filme, e dizer que ainda falta mais, muito mais. É isso aí Diego Canarin, Chico Caprário, Tiago Kawata, Ana Paula, Luiz Aquino, Zé Guilherme, Paola Rosa, Elisa Motta, Felipe Coli, Yve Sarkis, Renato Sá, Hugo Maligoli, Mike Silva, Rafael Xalálá, Samanta e todos que já se sacrificaram, nem que fosse como extra, cedendo figurinos ou um pouco do próprio tempo.

Valeu galera, e a luta continua!

, ,

Deixe um comentário

RAIOS! RAIOS DUPLOS!! RAIOS TRIPLOS!!!

Lembram meninos e meninas? Que ontem tínhamos uma gravação no estacionamento da Fapeu? Seria a continuação da cena anterior, do tunel, o hippie fugindo noite adentro, até que… Choveu! Não estava no roteiro.

Conseguimos rodar apenas um plano. Quando estávamos mudando a luz para o próximo, bum, cai aquela água. Corremos com todos os equipamentos para baixo da marquise mais próxima e não pudemos fazer mais nada além de assistir os espetáculo de raios no céu.

Cancelamos a gravação e agora vamos tentar marcar para semana que vem. Mas é isso, gravação externa ta sujeita a esses reveses, o que podemos fazer é cobrir as máquinas e esperar um céu firme.

Fazer cinema em Santa Catarina é isso aí.

Nuvem atômica cobre a ilha (ou seria o bafo do jacaré?)

, , ,

Deixe um comentário

Mais cenas gravadas

Semana passada gravamos três cenas em três locações diferentes: no mangue em frente ao shopping Iguatemi, no túnel para pedestres entre a ufsc e o Córrego Grande, e num terreno baldio com um muro grafitado.

Infelizmente a cena da frente do shopping teremos que refazer, pois tentamos aproveitar ao máximo a luz natural, mas logo ela foi se esvaindo conforme chegava a noite (devido ao horário de trabalho de um dos atores tivemos que começar as 6 da tarde). As demais cenas foram a noite e ficaram muito boas.

Ai vai um frame pra vocês:

, , ,

Deixe um comentário

Monstro da garrafa (ou latinhas)

Ontem reunimos a equipe de arte para forrarmos a armação da cabeça de jacaré com jornal e cola. Foi uma tarde e uma noite de trabalho, mãos sujas de cola e tinta de jornal, e cervejas.
Próxima semana cobriremos o jornal com papel machê e colocaremos os dentões. Ainda haverá mais sessões de trabalho artesanal, pintar, esperar secar, fazer acabamentos…

Crédito das fotos Elisa Motta

Deixe um comentário

Depois das Férias… Trabalho

Ficamos um bom período sem postar nada, mas não foi por falta de assunto. Perdoem o desleixo deste pobre escriba.

Na verdade aconteceram várias coisas: gravamos a cena das crianças e deixamos na agulha a cena dos hippies que será feita em breve; visitamos algumas locações, editamos a cena do mangue (mesmo sem o audio bom) o que já nos dá uma ideia do resultado final e também de como melhorar nas próximas cenas; fizemos contatos afim de conseguir equipamentos de luz, tripés, adereços, etc e tals…

Ontem fizemos uma reunião no bar com vários amigos e ficou decidido para agora, neste inicio do ano:

  • Visitar as locações com a equipe de fotografia;
  • Construir o jacaré “mecânico”;
  • Ensaiar pelo menos mais uma vez com o elenco principal entes de gravar as cenas;
  • Fazer todos os contatos que ainda faltam (Boi de Mamão, grupo típico alemão, confirmar locações, arranjar adereços);
  • Marcar e gravar a cena dos hippies;
  • Fazer Up grade no computador;
  • Pensar na música para trilha, no visual dos créditos, na promoção do filme;

Na reunião de ontem ficou acertado com a parte do elenco que tem mais cenas para reservar um final de semana inteiro, sábado e domingo, de manhã e tarde, para gravarmos todas as cenas. Claro, com um intervalo para comer uma boia-fria.

A maior parte das locações serão na Ufsc, goste ou não é um local centralizado e com acesso mais facilitado possível. Questões logísticas e de comodidade influenciaram nesta decisão.

That’s all, folks. Agora, para cima e avante.

Deixe um comentário

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.